Após um ano de implementação, 14 estados aderiram ao SINESP, Sistema Nacional de Segurança Pública, que reúne boletins de ocorrência policiais, para o cruzamento de informações em nível nacional. O sistema integra as informações enviadas pelos estados, que usam a plataforma gratuita do governo federal ou uma própria.

 

Entre os 14 estados que já enviaram dados ao SINESP, onze somam mais de dois milhões de boletins de ocorrência. Para o Ministro da Segurança Pública, Raul Jungman, o sistema traz transparência ao setor da segurança. 

 

Jungmann atribui a dificuldades financeiras, entre outros motivos, o fato de que 13 estados ainda não aderiram ao sistema de boletim nacional de ocorrência. Entre as unidades da federação que ainda não fazem parte, estão todos da região Sudeste e da região Sul, por exemplo.

 

Segundo o ministro, o órgão não pretende aplicar punições aos estados que ainda não aderiram ao sistema, mas a lei prevê. 

 

A estimativa do ministro Jungmann é que todos os estados se integrem até 2019. A obrigatoriedade de adesão ao boletim nacional de ocorrências está prevista na lei de criação do SUSP, Sistema Único de Segurança Pública, sancionada em junho deste ano. Com os dados, o SINESP passa a analisar os dados de criminalidade, investigação e fornece aos estados de forma unificada.

Source: Internacional