Um grupo de profissionais ligados à Segurança Pública de São Paulo usou as redes sociais para prestar solidariedade ao policial militar Leandro Prior. No mês passado, um vídeo gravado sem a autorização dele circulou na internet. Nas imagens, o policial aparece dando um selinho no namorado, dentro do metrô.

Após mensagens homofóbicas e até ameaças, o soldado, que está na corporação há quatro anos, acabou se afastando do trabalho.

Agora, outros policiais e especialistas usam a hashtag #SomosTodosPrior para publicar nas redes sociais mensagens de apoio a Leandro.

Eles também criaram o perfil da Renosp-LGBT, Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública LGBTI, no Instagram. A rede existe desde 2010, mas o perfil é novo.

A polícia ainda investiga a origem das ameaças, porque esse tipo de mensagem é um crime cibernético.

Source: Internacional