Muito tiroteio, poucas ações de inteligência. Esse é o balanço dos cinco primeiros meses da intervenção federal na opinião de especialistas, reunidos no observatório da intervenção, criado para acompanhar as ações do gabinete militar.

 

Neste período, em comparação com os cinco meses anteriores, o número de tiroteios e disparos de arma de fogo subiu 47%  passando de 4 mil registros, as chacinas aumentaram 80% com mais que o dobro de vítimas e apesar das operações quase diárias a apreensão de armas caiu quase 40% entre fevereiro e maio na comparação com o mesmo período do ano passado. 

 

Para a coordenadora do observatório, Sílvia Ramos, os números comprovam que a política de segurança que prioriza as mega operações como forma de combater o crime organizado  não está surtindo o efeito desejado.

Source: Internacional