Leshana Donaldson compareceu ao Tribunal Distrital de Dunedin ontem depois de se declarar culpada pela agressão.

Em 25 de março, estava em vigor o nível 4 para conter a disseminação do vírus e os supermercados permitiam a entrada de apenas "uma pessoa por bolha" por vez.

A jovem de 25 anos foi para Pak'nSave com seu parceiro e foi informada que apenas um deles tinha permissão para entrar.

Ela disse ao oficial de segurança que voltaria para o carro, mas assim que ele virou as costas, ela correu para dentro.

Ela pegou uma variedade de itens e começou a examiná-los no caixa de autoatendimento e foi abordada por um supervisor e novamente lembrada sobre as restrições da Covid-19.

"Donaldson não deu ouvidos e continuou a escanear seus itens". O supervisor recusou-se a lhe vender os produtos.

De repente, Donaldson se virou e acertou a mulher no rosto com um cacho de bananas e começou a gritar.

A vítima ficou com o rosto vermelho como resultado do ataque.

O juiz encontrou duas agressões que Donaldson havia cometido em 2016, pelas quais ela havia sido condenada a trabalho comunitário.

Donaldson, segundo o juíz, tinha uma "história muito triste e trágica" e instou o tribunal a impor uma sentença de reabilitação.

Donaldson foi condenado a 12 meses de supervisão intensiva e 100 horas de trabalho comunitário.

 

Fonte: Nz Herald

Deixe seu Comentário