Sem apresentar evidências, o presidente dos Estados Unidos afirmou que pode haver fraude na votação por correio. A data das eleições presidenciais é 3 de novembro.

Donald Trump levantou nesta quinta-feira (30) a possibilidade de adiar as eleições presidenciais, marcadas para o dia 3 de novembro, apesar de a data estar expressa na Constituição dos Estados Unidos. O presidente americano, sozinho, não pode mudar a data do pleito --para isso, seria preciso autorização do Congresso.

Sem apresentar evidências, ele repetiu o argumento de que pode haver fraude na votação por correio, e então afirmou: "Adiar as eleições até que as pessoas possam votar com segurança?".

Não há evidências de fraude generalizada dos eleitores por meio de votação por correio. Cinco estados já se baseiam exclusivamente nas cédulas por correio e dizem que têm as salvaguardas necessárias para garantir que alguma pessoa ou entidade estrangeira hostil não atrapalhe a votação. Especialistas em segurança eleitoral afirmam que todas as formas de fraude eleitoral são raras.

Trump tem procurado cada vez mais questionar as eleições de novembro e o aumento esperado nas votações por correspondência, como consequência da pandemia de coronavírus.

O presidente chamou as opções de votação remota o "maior risco" para sua reeleição. Sua campanha e o Partido Republicano entraram na Justiça para combater a prática.

No mês passado, Trump disse aos apoiadores no Arizona que "esta será, na minha opinião, a eleição mais corrupta da história do nosso país".

Democratas defendem eleição:

Democratas, incluindo o candidato presidencial Joe Biden, já iniciaram preparativos para proteger os eleitores e a eleição devido ao temor de que Trump tente interferir com o pleito de 3 de novembro.

"Um presidente no cargo está espalhando mentiras e insinuando o adiamento da eleição para se manter no poder", disse o deputado democrata Dan Kildee no Twitter. "Não deixem acontecer. Todo americano --republicano, independente e democrata-- deveria estar se manifestando contra a ilegalidade e o desprezo completo deste presidente pela Constituição".

O senador democrata Tom Udall disse: "Não existe possibilidade de o presidente dos Estados Unidos adiar a eleição. Não deveríamos deixá-lo nos distrair de sua incompetência diante da #Covid19."

 

Fonte: G1

Deixe seu Comentário