O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump,fez novas ameaças ao Irã nesta segunda-feira (13). — Foto: Carlos Barria/Reuters

Presidente americano afirmou que o país persa cometerá um “grande erro” se fizer qualquer coisa contra interesses americanos no Oriente Médio, onde os EUA vêm reforçando sua presença militar. Nos últimos dois dias, Arábia Saudita e Emirados Árabes denunciaram sabotagens em suas embarcações na região do Golfo Persa.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou, nesta segunda-feira (13), que o Irã cometerá “um grande erro” se fizer “qualquer coisa” contra interesses americanos no Oriente Médio. A afirmação vem depois de depois Washington enviar navios e aviões para enfrentar supostas ameaças na região.

“Vamos ver o que vai acontecer com o Irã. Se fizerem qualquer coisa, sofrerão muito”, afirmou Trump, durante um encontro com o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, na Casa Branca.

Os comentários de Trump foram feitos depois que os Emirados Árabes Unidos informaram que quatro embarcações comerciais foram sabotadas no domingo (12) perto do emirado de Fujairah, nos arredores do Estreito de Ormuz, que separa o país do Irã. A Arábia Saudita também denunciou sabotagem a dois navios petroleiros.

Os Estados Unidos vêm declarando há mais de uma semana que as autoridades iranianas ou seus aliados no Oriente Médio estão preparando “ataques iminentes” contra locais de interesse americano no Golfo Persa. Washington enviou um porta-aviões, um navio de guerra, aviões bombardeiros B-52 e uma bateria de mísseis Patriot para a região para enfrentar as supostas ameaças.

O enviado dos Estados Unidos ao Irã, Brian Hook, em foto de arquivo. — Foto: Andrew Caballero-Reynolds / AFP

O enviado dos Estados Unidos ao Irã, Brian Hook, em foto de arquivo. — Foto: Andrew Caballero-Reynolds / AFP

Apesar desta movimentação militar, a Guarda Revolucionária do Irãafirmou na última sexta (10) que não considera provável um ataque dos EUA. O Irã se distanciou da sabotagem aos petroleiros e denunciou uma conspiração para criar insegurança na região.