O Partido Trabalhista não apoiaria o projeto de lei dos membros da NZ First, que forçaria migrantes e refugiados a concordar com os valores da Nova Zelândia, disse a primeira-ministra Jacinda Ardern.
Mas a Primeira-Ministra da Nova Zelândia encarregada da Lei de Respeito aos Valores da Nova Zelândia não está preocupada com os comentários de Ardern e disse que isso poderia estar na mesa das negociações da coalizão em 2020.
O projeto debatido, que ainda não foi aprovado pelo comitê da NZ First, foi discutido na conferência anual do partido no fim de semana.
Tem o apoio do Líder Winston Peters, que disse que se alguém está vindo para a Nova Zelândia como refugiado, “com certeza você vai respeitar as nossas regras”.

Mas Ardern não compartilha dos pensamentos de seu vice-primeiro-ministro, dizendo a Mike Hosking, da Newstalk ZB, que o Partido Trabalhista não o apoiaria  um projeto de lei se fosse apresentado à Câmara.
Todos os parlamentares do Parlamento podem enviar as Informações dos membros, que são sorteadas aleatoriamente em uma  cédula a ser debatida na Câmara.
Ardern deixou claro que o projeto de lei proposto “não é uma política do governo” e não será adotado pelo governo se vier antes para a Câmara.
Perguntada se ela teria adiado a ideia, se fazia parte das negociações da NZ First / Coalizão Trabalhista, ela disse: “Tudo tem que ser negociado e nosso acordo de coalizão permanece a partir do momento em que o assinamos.
“Desde então, debatemos e negociamos.”

Mas, Clayton Mitchell, que elaborou o projeto em nome dos membros do partido Tauranga, não se intimida com os comentários da primeira-ministra.
“Trata-se de proteger os valores da Nova Zelândia, seja ou não o suporte que merece, é irrelevante”.
Ele disse que não foi escrito para ser alinhado com qualquer outro partido político.
Pode se tornar um projeto de lei para os membros, ou “algo que discutiremos nas negociações da coalizão de 2020”, disse ele.
O projeto de lei proposto, que é de competência neste estágio, será apresentado em breve antes do comitê da NZ First para avaliar se será uma lei de pleno direito.
Mitchell não sabe qual apoio terá no caucus, mas disse que estará colocando um “caso forte” para os parlamentares quando eles discutirem o assunto.
Ardern se junta a uma série de outras pessoas que manifestaram oposição ao projeto de lei proposto.
Líder Nacional Simon Bridges chamou o projeto de lei “absurdo agarrando manchete”.
O Presidente do Conselho de Refugiados da Nova Zelândia, Arif Saeid, não apoia a proposta, nem a Comissão de Direitos Humanos.