Mao Qun You. Photo: RNZ / Jessie Chiang

Cerca de 50 operários da construção civil chineses estão pedindo ao governo que responsabilize um homem que acredita ter deixado de pagar dezenas de milhares de dólares.

Os trabalhadores que vieram para a Nova Zelândia através de  um homem chamado Peter Li, também conhecido como Wenshan Li, e estão indignados pois de acordo com um dos representantes, Li disse que cada contratado receberia cerca de NZ $ 6400 por mês o que na verdade não aconteceu.

Um trabalhador, Mao Qun You, disse que Li falou que ele ganharia muito mais do que isso.

Mao chegou ao país em novembro passado, depois de pagar a Li cerca de NZ $ 57 mil para conseguir um visto de trabalho.

Quando ele perguntou por que esse visto era tão caro, o sr. Li garantiu que valeu a pena.

“Ele disse que o visto que ele arranjou era diferente; o visto dele era o melhor, porque toda a minha família poderia se mudar também.

“Ele disse que eventualmente eu poderia ganhar milhões de dólares da Nova Zelândia.”

Mas ele só fez cerca de NZ $ 25.000 até agora, trabalhando 50 horas por semana.

Mao ligou para o Sr. Li em março para pedir seu dinheiro de volta para poder voltar à China.

“Ele me disse que eu estava sonhando [e] tentou me chantagear dizendo que ele estava na Nova Zelândia há 26 anos.

“Ele me disse para não atravessá-lo e disse que eu não seria capaz de fazer nada contra ele.”

Mao esperava que o governo pudesse responsabilizar Li.

Outros trabalhadores com quem a impressa conversou disseram que pagaram ao Sr. Li cerca de NZ $ 40 mil para ajudá-los a se candidatar a vistos de trabalho.

A eles  foram prometidos cerca de NZ $ 6400 por mês para o trabalho, mas nenhum deles estava ganhando isso.

Todos eles têm vistos de trabalho válidos.

Outro trabalhador, Fan Guo Hua, chegou há quase quatro meses.

Ele disse que, assim que saiu do avião, foi levado para Tauranga pelo Sr. Li.

O Sr. Li assegurou-lhe que haveria trabalho e tudo era legal.

Mas semana após semana passou e não havia nenhum trabalho.

“Ele continuou nos dizendo para sermos pacientes e três semanas depois eu comecei a trabalhar alguns dias aqui e ali.

“Eu trabalhei apenas 80 horas [no total].”

Fan disse que só recebeu US $ 800 por isso.

Desde agosto, os trabalhadores disseram que Li trouxe cerca de 48 trabalhadores da China para a Nova Zelândia.

Mas no mês passado, nenhum deles conseguiu falar com o Sr. Li através do seu celular.

Ele não respondeu a nenhuma das chamadas da impressa.

O Sr. Li também não foi encontrado em nenhum de seus endereços em Auckland.

Ele é o diretor de várias empresas, incluindo a E and L Construction e também da Associação de Livre Comércio da NZ-China.

A maioria das empresas está listada no mesmo endereço em Mount Wellington.

Mas quando a reportagem  foi visitar, havia apenas um funcionário de uma empresa chamada NZT Fashions Limited.

O funcionário disse à imprensa  que o Sr. Li era o proprietário, mas ele não estava lá e não sabia quando voltaria.

Os trabalhadores da construção civil chineses disseram que se sentiram perdidos e desiludidos.

Eles disseram ainda queriam trabalhar e mandar dinheiro para suas famílias na China que precisavam desesperadamente de dinheiro.

Para o Sr. Mao, porém, tudo o que ele quer é conseguir o dinheiro que pagou ao Sr. Li de volta e ir para casa.

“Eu realmente não aguento mais isso. Todo dia eu penso sobre isso e fico com raiva.

“Não posso ficar aqui porque não posso nem suprir as necessidades diárias da minha família.”

Imigração Nova Zelândia (INZ) disse que estava investigando uma queixa contra o Sr. Li.

O gerente geral assistente da INZ, Peter Devoy, disse que a exploração de trabalhadores migrantes está em alta.

“São inquéritos difíceis e são difíceis porque muitas vezes existem barreiras linguísticas.

“As pessoas freqüentemente vêm até nós depois de estarem em uma posição de exploração já por  algum tempo. Eles não confiam nas autoridades [e] não têm boas redes de apoio na Nova Zelândia”.