DAVID WHITE/STUFF

Dois trabalhadores de uma loja de bebidas dizem que recebem apenas NZ $ 6 por hora por até 90 horas de trabalho por semana.

O caso, no qual os homens também afirmam que tem cerca NZ $ 300 mil em diretos e salários não pagos, está sendo descrito por seu sindicato como um dos piores casos de exploração que já viu.

A Associação dos Trabalhadores Migrantes (MWA) vai apresentar reclamações nesta semana em nome dos homens contra Bhushan Kumar Bansal, o proprietário de uma loja Super Liquor em Mt Albert, Auckland.

Os dois dizem que receberam entre NZ $ 6 a NZ $ 10 por hora, às vezes em dinheiro vivo, e às vezes declarando parte de seus salários.

A MWA já chegou a um acordo confidencial com o Bansal sobre reclamações feitas por um terceiro funcionário.

Na manhã de quarta-feira, os funcionários da sede da Super Liquor chegaram para remover a sinalização e a marca da loja em New North Rd, e um funcionário pode ser visto discutindo com Bansal (dono da loja),sobre o que seria removido da loja. O chefe executivo da Super Liquor, Campbell McMahon, disse que Bansal está sob investigação há duas semanas. McMahon decidiu que ele havia cometido uma “violação material” de seu contrato de franquia.

De acordo com o sindicado, existe um vídeo que está sendo veiculado pelo próprio sindicado nas redes sociais onde os representantes pedem para que todos aqueles imigrantes independente de sua origem e que de alguma forma estão se sentindo explorados pelos seus patrões, que os mesmos denunciem seus exploradores para que esse círculo vicioso chege ao fim.