JOHN KIRK-ANDERSON/STUFF

A Lime lançou 600 e-scooters em Auckland e 400 em Christchurch, mas preocupações foram levantadas sobre sua segurança.

A empresa de e-scooters de aluguel para  passeios Lime aumentou seu mercado em  Auckland, mas algumas pessoas expressaram preocupação sobre sua segurança.
No início desta semana, 600 scooters foram disponibilizadas  na cidade, mas já surgiram reclamações sobre pessoas que as usam perigosamente e as deixam em locais inseguros.
Um usuário do Twitter escreveu: “Quase fui derrubado em um viaduto”.
Uma pessoa  disse ao Jornal  Herald que uma  equipe da Auckland Transport foi vista na segunda-feira correndo pelo viaduto tentando tirar as pessoas que usavam as  scooters.

Um porta-voz da Auckland Transport disse que eles acompanhando de perto com o Conselho de Auckland no licenciamento da Lime e parabenizaram pelo serviço, mas estariam monitorando a situação.
“Vamos continuar a monitorar os serviços e garantir que o número de scooters e bicicletas compartilhadas introduzidas seja apropriado para o centro da cidade e áreas adjacentes”, disse um porta-voz.
Outro usuário do Twitter escreveu: “Havia um par de scooters estacionados no meio da trilha na Queen St, causando perigo  para os pedestres. 
De acordo com o Conselho de Auckland, uma pessoa até agora reclamou sobre uma scooter estacionada em local inadequado.
Em um comunicado ao Herald, a Auckland Transport disse que os usuários devem deixá-los em um local público apropriado.
“As licenças do Lime, concedidas pelo Conselho de Auckland, definem os locais que o prestador de serviços pode deixá-los, e os usuários são encorajados a deixá-los em locais públicos apropriados e garantir que haja espaço para as pessoas caminharem“, disse um porta-voz.
As pessoas empregadas como contratantes independentes, chamadas “juicers”, coletam as scooters por volta das 9 da noite e as re-distribuem por volta das 4 da manhã do dia seguinte.
Aproximadamente 80 por cento das scooters são recolhidas por “contratantes independentes”, enquanto o pessoal do Lime  recolhe o resto.
As scooters, que podem viajar a velocidades de 22 a 23 km / h, não precisam de capacete  e podem ser usadas em trilhas ou na estradas.
De acordo com o site da Agência de Transporte da Nova Zelândia, os e-scooters são classificadas como veículos de baixa potência que não exigem registro ou carteira de habilitação – desde que sua potência máxima não exceda 300W.
No entanto, ao serem usadas ​​na estrada, as scooters elétricas devem ser operadas o mais próximo possível da beira da estrada.
Um porta-voz da Agência de Transporte da Nova Zelândia disse que os e-scooters estao sendo acompanhadas de perto.
“As scooters elétricas foram permitidas desde 2004. A Agência de Transporte da Nova Zelândia está monitorando de perto seu uso e aceitação”, disse um porta-voz.

“A principal orientação aos usuarios de e-scooters é ser o mais seguro possível e estar ciente de que ciclistas, outros usuários alem de  pedestres podem não ouvi-los se aproximando.

“O bom comportamento continua a ser a prioridade quando as pessoas andam de e-scooters e qualquer pessoa que ande perigosamente na calçada ou na rua pode estar sujeita a ser parado pela  polícia.”
As scooters Lime geraram muita agitação desde o seu lançamento na segunda-feira.
O aplicativo Lime chegou ao número um, com 384 downloading’s  na App Store esta semana, enquanto os passageiros experimentam as scooters.
O Diretor da Lime, Cameron Swanson, disse ao Herald que eles tem visto uma grande demanda pelas scooters.
“Estamos vendo uma enorme demanda”, disse Swanson.
“O fato de sermos o número um na loja de aplicativos, acima do Instagram e do Facebook, é excepcional.”
Além do lançamento em Auckland, 400 dos e-scooters também foram disponibilizadas  em Christchurch, com uma revisão prevista para daqui três meses para determinar se mais serão necessários mais e-scooters e tambem uma  possível expansão para outras áreas e cidades.